Igreja sede: Rua Osvaldo Cruz, 330 - Bairro Forquilhinhas - São José - SC
Congregação Prainha : Morro do governo, 436 - Bairro Prainha - Florianópolis - SC
Contatos / informações : ibforquilhinhas@hotmail.com

sexta-feira, 30 de junho de 2017

A CONFISSÃO DE FÉ BATISTA DE 1689

Capítulo V: Da Divina Providência

1. Deus, o grande Criador de todas as coisas, em Seu infinito poder e sabedoria, dirige, dispõe e governa todas as criaturas1, e coisas, desde a maior até a menor2, por Sua mui sábia e santa providência, para o fim pelo qual foram criadas, segundo a Sua infalível presciência, e o livre e imutável conselho de Sua própria vontade, para o louvor da glória de Sua sabedoria, poder, justiça, infinita bondade e misericórdia3.

1 Hebreus 1:3; Jó 38:11; Isaías 46:10,11; Salmos135:6
2 Mateus 10:29-31
3 Efésios 1;11

2. Embora em relação à presciência e ao decreto de Deus, a causa primeira, todas as coisas acontecem imutável e infalivelmente4, de forma que nada acontece de algum modo por mudança, ou sem a Sua providência5; contudo, pela mesma providência, Ele ordena que elas aconteçam de acordo com a natureza das causas secundárias, seja necessária, livre ou contingentemente6.

4 Atos 2:23
5 Provérbios 16:33
6 Gênesis 8:22

3. Deus, em Sua providência ordinária, faz o uso de meios7, ainda assim, é livre para operar sem8, acima9 e contra eles10, como Lhe agrade.

7 Atos 27:31, 44; Isaías 55:10, 11
8 Oséias 1:7
9 Romanos 4:19-21
10 Daniel 3:27

4. A onipotência, a sabedoria inescrutável e a infinita bondade de Deus, tanto manifestam-se em Sua providência, na qual Seu conselho determinado se estende mesmo até a primeira Queda, e todos as outras ações pecaminosas tanto de anjos e homens11; e não por meio de mera permissão, os quais Ele também, mui sábia e poderosamente delimita, e de forma variada ordena e governa12 em uma multiforme dispensação, para os Seus próprios santos fins13; ainda assim, de forma que a pecaminosidade de seus atos procede da criatura, e não de Deus; que sendo santíssimo e justíssimo, não é, nem pode ser o autor ou aprovador do pecado14.

11 Romanos 11:32-34; 2 Samuel 24:1; 1 Crônicas 21:1
12 2 Reis 19:28; Salmos76:10
13 Gênesis 1:20; Isaías 10:6,7,12
14 Salmos 1;21; 1 João 2:16

5. O Deus mui sábio, justo e gracioso, frequentemente deixa, por algum tempo, Seus próprios filhos em múltiplas tentações e corrupção dos seus próprios corações, para castigá-los pelos seus pecados anteriores ou fazer-lhes conhecer o poder oculto da corrupção e engano de seus corações, para que eles sejam humilhados; e elevá-los a uma dependência mais íntima e constante por Seu próprio apoio, e para torná-los mais vigilantes contra todas as futuras ocasiões de pecado, e para outros santos e justos fins15. De forma que seja o que for que ocorra com todos os Seus eleitos é por Sua designação, para a Sua glória e para o bem deles16.

15 2 Crônicas 32:25,26,31; 2 Coríntios 12:7-9
16 Romanos 8:28

6. Quanto aos perversos e ímpios, a quem Deus, como o justo juiz, por pecados anteriores, cega e endurece17; deles, Ele não apenas retém a Sua graça, pela qual eles poderiam ser iluminados em seus entendimentos e forjados em seus corações18; mas às vezes também lhes retira os dons que eles tinham19; e os expõe a objetos de forma que a corrupção deles se torna em ocasiões de pecado20; e, além disso, entrega-lhes às suas próprias concupiscências, às tentações do mundo e ao poder de Satanás21; segundo o que ocorre que eles se endurecem, sob aqueles meios que Deus usa para abrandar dos outros22.

17 Romanos 1;24-26,28, 11:7,8
18 Deuteronômio 29:4
19 Mateus 13:12
20 Deuteronômio 2:30; 2 Reis 8:12,13
21 Salmos 81:11,12; 2 Tessalonicenses 2:10-12
22 Êxodo 8:15,32; Isaías 6:9,10; 1 Pedro 2:7,8

7. Como a providência de Deus, em geral, atinge todas as criaturas, assim, de uma forma mui especial, Ele cuida de Sua Igreja, e dispõe de todas as coisas para o bem dela23.

23 1 Timóteo 4:10; Amós 9:8,9; Isaías 43:3-5

Fonte : http://www.reformedreader.org/

sexta-feira, 23 de junho de 2017

A CONFISSÃO DE FÉ BATISTA DE 1689

Capítulo IV: Da Criação

1. No princípio aprouve a Deus, o Pai, o Filho e o Espírito Santo1, para a manifestação da glória do seu eterno poder2, sabedoria e bondade, criar ou fazer o mundo, e todas as coisas nele, sejam visíveis ou invisíveis, no espaço de seis dias, e tudo muito bom3.

1 João 1:2,3; Hebreus 1:2; Jó 26:13
2 Romanos 1:20
3 Colossenses 1:16; Gênesis 1:31

2. Após Deus haver feito todas as outras criaturas, Ele criou o homem, macho e fêmea4, com almas racionais e imortais5, os adequou perfeitamente à vida para Deus, para o que eles foram criados, tendo sido feitos segundo a imagem de Deus, em conhecimento, retidão e verdadeira santidade6; tendo a lei de Deus escrita em seus corações7, e poder para cumpri-la; e ainda assim sob a possibilidade de transgressão, sendo deixados à liberdade da sua própria vontade, que era sujeita à mudança8.

4 Gênesis 1:27
5 Gênesis 2:7
6 Eclesiastes 7:29; Gênesis 1;26
7 Romanos 2:14,15
8 Gênesis 3:6

3. Além dessa lei escrita em seus corações, eles receberam a ordem de não comer da árvore do conhecimento do bem e do mal9; de forma que enquanto eles obedeceram a este preceito foram felizes em sua comunhão com Deus e tiveram domínio sobre as criaturas10.

9 Gênesis 2:17
10 Gênesis 1:26,28

Fonte : http://www.reformedreader.org/

sexta-feira, 9 de junho de 2017

A CONFISSÃO DE FÉ BATISTA DE 1689

Capítulo III: Dos Decretos de Deus

1. Deus decretou em Si mesmo, desde toda a eternidade, pelo mui sábio e santo Conselho de Sua própria vontade, ordenou livre e imutavelmente todas as coisas, seja o que for que venha a acontecer1; ainda assim, de modo que nem Deus é o autor do pecado, nem tem comunhão com algo nisso2; nem é violentada a vontade da criatura, nem ainda é eliminada a liberdade ou contingência das causas secundárias, antes estabelecidas3; nas quais demonstra-se a Sua sabedoria em dispor de todas as coisas, e poder e fidelidade em efetuar os Seus decretos4.

1 Isaías 46:10; Efésios 1:11; Hebreus 6:17; Romanos 9:15,18
2 Tiago 1:13; 1 João 1:5
3 Atos 4:27,28; João 19:11
4 Números 23:19; Efésios 1:3-5

2. Embora Deus conheça tudo o que possa ou venha a ocorrer, sobre todas as circunstâncias imagináveis5; ainda assim Ele não decretou qualquer coisa, porque Ele a previu como futura, ou como aquilo que poderia ocorrer, em tais condições6.

5 Atos 15:18
6 Romanos 9:11,13,16,18

3. Por meio do decreto de Deus e para manifestação da Sua glória, alguns homens e anjos são predestinados ou preordenados para a vida eternal por meio de Jesus Cristo7, para o louvor de Sua gloriosa graça8; outros são deixados a agir em seus pecados para a sua justa condenação, para o louvor da Sua gloriosa justiça9.

7 1 Timóteo 5:21; Mateus 25:34
8 Efésios 1:5,6
9 Romanos 9:22,23; Judas 4

4. Esses anjos e homens, assim predestinados e preordenados, são particular e imutavelmente designados; e o seu número é tão certo e definido, que não pode ser aumentado ou diminuído10.

10 2 Timóteo 2:19; João 13:18

5. Aqueles da humanidade que são predestinados para a vida, Deus, antes da fundação do mundo, de acordo com o Seu propósito eterno e imutável, e o secreto conselho e beneplácito de Sua vontade, os escolheu em Cristo, para a glória eterna, por Sua pura livre graça e amor11, não por qualquer outra coisa na criatura, como condições ou causas que O movesse a isso12.

11 Efésios 1:4, 9, 11; Romanos 8:30; 2 Timóteo 1:9; 1 Tessalonicenses 5:9
12 Romanos 9:13,16; Efésios 2:5,12

6. Assim como Deus destinou os eleitos para a glória, assim também, pelo propósito eterno e mui livre de Sua vontade, preordenou todos os meios para isso13. Portanto, aqueles que são eleitos, estando caídos em Adão são remidos por Cristo14, são eficazmente chamados para a fé em Cristo pelo Seu Espírito, que opera no tempo devido; são justificados, adotados, santificados15 e preservados pelo Seu poder por meio da fé para a salvação16. Nem são quaisquer outros redimidos por Cristo, eficazmente chamados, justificados, adotados, santificados e salvos, senão somente os eleitos17.

13 1 Pedro 1:2; 2 Tessalonicenses 2:13
14 1 Tessalonicenses 5:9, 10
15 Romanos 8:30; 2 Tessalonicenses 2:13
16 1 Pedro 1:5
17 João 10:26, 17:9, 6:64

7. A doutrina deste elevado mistério da predestinação deve ser tratada com especial prudência e cuidado, para que os homens, atendendo à vontade de Deus revelada em Sua Palavra, e prestando obediência a isso, possam, a partir da certeza da sua vocação eficaz, certificar-se de sua eleição eterna18. Portanto, esta doutrina deve motivar o louvor19, reverência e admiração a Deus; e humildade20, diligência e consolação abundante para todos os que sinceramente obedecem ao Evangelho21.

18 1 Tessalonicenses 1:4,5; 2 Pedro 1:10
19 Efésios 1:6; Romanos 11:33
20 Romanos 11:5,6,20
21 Lucas 10:20

Fonte : http://www.reformedreader.org/

sexta-feira, 2 de junho de 2017

A CONFISSÃO DE FÉ BATISTA DE 1689

Capítulo II: De Deus, e a Santa Trindade

1. O Senhor nosso Deus é somente um Deus vivo e verdadeiro1; cuja subsistência está em e de si mesmo2, infinito em seu ser e perfeição; cuja essência não pode ser compreendida por qualquer outro, senão por Ele mesmo3; um espírito puríssimo4, invisível, sem corpo, partes ou paixões, a quem somente pertence a imortalidade, que habita em luz que nenhum homem pode acessar5; que é imutável6, imenso7, eterno8, incompreensível, onipotente9, em tudo infinito, santíssimo, sapientíssimo10, completamente livre e absoluto, operando todas as coisas segundo o conselho da Sua vontade imutável e justíssima11, para a Sua própria glória12; É cheio de amor, gracioso, misericordioso, longânimo, abundante em bondade e verdade, que perdoa a iniquidade, a transgressão e o pecado; o galardoador dos que o buscam13 e, contudo, justíssimo e terrível em Seus julgamentos14; odiando todo pecado15; e que não tem por inocente o culpado16.

1 1 Coríntios 8:4,6; Deuteronômio 6:4
2 Jeremias 10:10; Isaías 48:12
3 Êxodo 3:14
4 João 4:24
5 1 Timóteo 1:17; Deuteronômio 4:15,16
6 Malaquias 3:6
7 1 Reis 8:27; Jeremias 23:23
8 Salmos 90:2
9 Gênesis 17:1
10 Isaías 6:3
11 Salmos 115:3; Isaías 46:10
12 Provérbios 16:4; Romanos 11:36
13 Êxodo 34:6,7; Hebreus 11:6
14 Neemias 9:32,33
15 Salmos 5:5,6
16 Êxodo 34:7; Naum 1:2,3

2. Deus possui toda a vida17, glória18, bondade19, bem-aventurança, em e de si mesmo; Ele é todo suficiente para si, e não possui necessidade de quaisquer criaturas que Ele fez, nem delas deriva glória alguma20, mas apenas manifesta sua própria glória em, por, para e sobre elas; ele é a única origem de todo ser, de quem, por quem e para quem são todas as coisas21; e exerce soberano domínio sobre todas as criaturas, para fazer por elas, para elas ou sobre elas tudo que lhe apraz22. Todas as coisas estão manifestas e patentes diante dele23; seu conhecimento é infinito, infalível e independente da criatura; assim como nada para ele é contingente ou incerto24. Ele é santíssimo em todos os seus conselhos, em todas as suas obras25 e em todos os seus comandos. Para ele, é devido da parte de anjos e homens todo o culto26, serviço ou obediência que, como criaturas, eles devem em relação ao seu Criador, e tudo quanto mais Ele se agradar em requerer deles.

17 João 5:26
18 Salmos 148:13
19 Salmos 119:68
20 Jó 22:2,3
21 Romanos 11:34-36
22 Daniel 4:25,34,35
23 Hebreus 4:13
24 Ezequiel 11:5; Atos 15:18
25 Salmos 145:17
26 Apocalipse 5:12-14

3. Em seu Ser divino e infinito há três subsistências, o Pai, a Palavra ou o Filho, e o Espírito Santo27, de uma só substância, poder e eternidade, cada um possuindo completa essência divina, e ainda a essência é indivisível28: O Pai não é de ninguém, nem gerado nem procedente; o Filho é eternamente gerado do Pai29; o Espírito Santo é procedente do Pai e do Filho30; todos infinitos e sem princípio de existência. Portanto, um só Deus; que não deve ser divido em seu ser ou natureza, mas, sim, distinguido pelas diversas propriedades peculiares e relativas, e relações pessoais; Esta doutrina da Trindade é o fundamento de toda a nossa comunhão com Deus, e confortável dependência dEle.

27 1 João 5:7; Mateus 28:19; 2 Coríntios 13:14
28 Êxodo 3:14; João 14:11; 1 Coríntios 8:6
29 João 1:14,18
30 João 15:26; Gálatas 4:6


Capítulo III: Dos Decretos de Deus

1. Deus decretou em Si mesmo, desde toda a eternidade, pelo mui sábio e santo Conselho de Sua própria vontade, ordenou livre e imutavelmente todas as coisas, seja o que for que venha a acontecer1; ainda assim, de modo que nem Deus é o autor do pecado, nem tem comunhão com algo nisso2; nem é violentada a vontade da criatura, nem ainda é eliminada a liberdade ou contingência das causas secundárias, antes estabelecidas3; nas quais demonstra-se a Sua sabedoria em dispor de todas as coisas, e poder e fidelidade em efetuar os Seus decretos4.

1 Isaías 46:10; Efésios 1:11; Hebreus 6:17; Romanos 9:15,18
2 Tiago 1:13; 1 João 1:5
3 Atos 4:27,28; João 19:11
4 Números 23:19; Efésios 1:3-5

2. Embora Deus conheça tudo o que possa ou venha a ocorrer, sobre todas as circunstâncias imagináveis5; ainda assim Ele não decretou qualquer coisa, porque Ele a previu como futura, ou como aquilo que poderia ocorrer, em tais condições6.

5 Atos 15:18
6 Romanos 9:11,13,16,18

3. Por meio do decreto de Deus e para manifestação da Sua glória, alguns homens e anjos são predestinados ou preordenados para a vida eternal por meio de Jesus Cristo7, para o louvor de Sua gloriosa graça8; outros são deixados a agir em seus pecados para a sua justa condenação, para o louvor da Sua gloriosa justiça9.

7 1 Timóteo 5:21; Mateus 25:34
8 Efésios 1:5,6
9 Romanos 9:22,23; Judas 4

4. Esses anjos e homens, assim predestinados e preordenados, são particular e imutavelmente designados; e o seu número é tão certo e definido, que não pode ser aumentado ou diminuído10.

10 2 Timóteo 2:19; João 13:18

5. Aqueles da humanidade que são predestinados para a vida, Deus, antes da fundação do mundo, de acordo com o Seu propósito eterno e imutável, e o secreto conselho e beneplácito de Sua vontade, os escolheu em Cristo, para a glória eterna, por Sua pura livre graça e amor11, não por qualquer outra coisa na criatura, como condições ou causas que O movesse a isso12.

11 Efésios 1:4, 9, 11; Romanos 8:30; 2 Timóteo 1:9; 1 Tessalonicenses 5:9
12 Romanos 9:13,16; Efésios 2:5,12

6. Assim como Deus destinou os eleitos para a glória, assim também, pelo propósito eterno e mui livre de Sua vontade, preordenou todos os meios para isso13. Portanto, aqueles que são eleitos, estando caídos em Adão são remidos por Cristo14, são eficazmente chamados para a fé em Cristo pelo Seu Espírito, que opera no tempo devido; são justificados, adotados, santificados15 e preservados pelo Seu poder por meio da fé para a salvação16. Nem são quaisquer outros redimidos por Cristo, eficazmente chamados, justificados, adotados, santificados e salvos, senão somente os eleitos17.

13 1 Pedro 1:2; 2 Tessalonicenses 2:13
14 1 Tessalonicenses 5:9, 10
15 Romanos 8:30; 2 Tessalonicenses 2:13
16 1 Pedro 1:5
17 João 10:26, 17:9, 6:64

7. A doutrina deste elevado mistério da predestinação deve ser tratada com especial prudência e cuidado, para que os homens, atendendo à vontade de Deus revelada em Sua Palavra, e prestando obediência a isso, possam, a partir da certeza da sua vocação eficaz, certificar-se de sua eleição eterna18. Portanto, esta doutrina deve motivar o louvor19, reverência e admiração a Deus; e humildade20, diligência e consolação abundante para todos os que sinceramente obedecem ao Evangelho21.

18 1 Tessalonicenses 1:4,5; 2 Pedro 1:10
19 Efésios 1:6; Romanos 11:33
20 Romanos 11:5,6,20
21 Lucas 10:20

Fonte : http://www.reformedreader.org/