Igreja sede: Rua Osvaldo Cruz, 330 - Bairro Forquilhinhas - São José - SC
Congregação Prainha : Morro do governo, 436 - Bairro Prainha - Florianópolis - SC
Contatos / informações : ibforquilhinhas@hotmail.com

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Natal significa liberdade

Por
John Piper

“Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida.” Hebreus 2:14-15.

Jesus se tornou homem porque o que era necessário era a morte de um homem que fosse mais do que um homem. A encarnação foi Deus trancafiando a si mesmo no corredor da morte.

Cristo não arriscou a morte, Ele a abraçou. Foi precisamente para isso que Ele veio: não para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos (Marcos 10:45).

Não é surpresa que satanás tenha tentado desviar Jesus da cruz! A cruz era a destruição de satanás. Como Jesus o destruiu?
O “poder da morte” é a habilidade de tornar a morte assustadora. O “poder da morte” é o poder que sujeita os homens à escravidão através do pavor da morte. É o poder de manter os homens em pecado, para que a morte seja algo hórrido.
Mas Jesus privou satanás de seu poder. Ele o desarmou. Ele moldou uma couraça de justiça para nós que nos torna imunes à condenação do diabo.

Por Sua morte, Jesus removeu todos os nossos pecados. E uma pessoa sem pecado leva satanás à falência. Sua traição é abortada. Sua deslealdade cósmica é frustrada. “Já condenado está, vencido cairá”. A cruz o traspassou. E agora ele dá seus últimos suspiros.
Natal significa liberdade. Liberdade do medo da morte.

Jesus tomou nossa natureza em Belém para morrer a nossa morte em Jerusalém, para que pudéssemos ser destemidos em nossa cidade. Sim, destemidos. Porque se a maior ameaça à minha alegria já se foi, então por que eu deveria me inquietar com as menores? Como você pode dizer: “Bem, eu não tenho medo de morrer, mas tenho medo de perder meu emprego”? Não. Não. Pense!

Se a morte, eu disse morte – sem pulso, frio, morto! Se a morte não é mais um medo, estamos livres, realmente livres. Livres para nos arriscar em qualquer coisa sob o sol por Cristo e por amor, sem mais escravidão à ansiedade.

Se o Filho o libertou, você será livre, de fato!

Fonte : leituras diárias para dezembro / John Piper

Nenhum comentário:

Postar um comentário